SALESIANOS COOPERADORES

UM VASTO MOVIMENTO DE PESSOAS PARA SALVAÇÃO DA JUVENTUDE.

Bem-Aventurado SC Juan de Mata Díez

Este funcionário na casa de Atocha desapareceu no mesmo dia que seu primo, Higinio Mata, aspirante e salesiano Don Carmelo Perez, ambos da casa de Carabanchel Alto. Juan nasceu em Ubierna, Burgos, 11 de fevereiro de 1903. Desde a infância, ele foi incentivado pelo exemplo de seu pai, católico fervoroso. Até os 14 anos, Juan frequentou a escola de aldeia e distingue-se pela sua conversa limpa, personalidade alegre e bom tratamento. Ele trabalhou em operações agrícolas sem negligenciar os deveres religiosos.


Chegou em Madrid, na Escola Salesiana de Atocha em 1931, chamado por seu compatriota Don Henry Saiz, parceiro no sofrimento e mártir; confiado ao trabalho de coletar doações dos salesianos cooperadores, o trabalho foi executado por Juan, segundo a confissão de Don Henry, com a máxima diligência e fidelidade, atingindo confiar nele totalmente os Salesianos. Otimista e amigável com todos, Juan soube ganhar a simpatia de quem tratou.


Depois do assalto inesperado na casa de Atocha, 19 de julho esse administrador foi chamado às pensões Loyola na rua Montera, 10. Lá ele se juntou a outra casa, Carabanchel Alto dos salesianos. Com eles, mudou-se então para a pensão Nofuentes de la Calle Puebla, 17, onde alguns milicianos reconheceram-no como um "religioso", onde foi preso em 1 de outubro de 1936. Juntamente com seu primo, o aspirante Mata Higinio e o salesiano Don Carmelo Perez. Da Casa de Carabanchel Alto, Juan embarcou em um carro que o esperava na porta do Conselho de administração e o levou diretamente para um lugar desconhecido onde ocorreram as condenações.


 

Conheça a biografia dos 4 Salesianos Cooperadores:

Bem-Aventurado SC Antonio Rodríguez Blanco

Bem-Aventurado SC Bartolomé Blanco Márquez

Bem-Aventurada SC Teresa Cejudo Redondo

 

ou ainda a história de todo o grupo dos mártires espanhóis.