SALESIANOS COOPERADORES

UM VASTO MOVIMENTO DE PESSOAS PARA SALVAÇÃO DA JUVENTUDE.

Região Brasil

Campanha da Fraternidade 2021

  • 15/03/2021

  • 09:08

Campanha da Fraternidade 2021

‘Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”


Quarema é tempo de conversão e autorreflexão. Durante 40 dias o cristão é convidado a sair da sua zona de conforto para jejuar e aguardar a chegada da principal celebração da igreja: a ressureição de Jesus no domingo de páscoa. E para auxiliar nessa reflexão todos os anos a CNBB toca em temas sensíveis a sociedade através da Campanha da Fraternidade. 

Em 2021, foi lançada a quinta edição da Campanha da Fraternidade Ecumênica da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic) com o tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”.  

A Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) tem sido realizada, em média, a cada cinco anos, e desde 2000, abordou os seguintes temas: 2000 – Tema “Dignidade humana e paz” e lema “Novo milênio sem exclusões”; 2005 – Tema “Solidariedade e paz” e lema “Felizes os que promovem a paz”; 2010 – Tema “Economia e Vida” e lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”; 2016 – Tema “Casa Comum, nossa responsabilidade” e lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”.

Depois de um 2020 de muitas mortes e sofrimento, a Campanha da Fraternidade não poderia deixar de falar sobre a Pandemia do Coronavírus. Conforme destaca o texto base da Campanha, “O final de 2019 e o início de 2020 serão provavelmente narrados e analisados ao longo do século XXI com foco nos impactos provocados por uma pandemia global, da Covid-19, que até este momento interrompeu centenas de milhares de vidas de mulheres e homens, crianças e jovens, idosos e idosas. Todas essas vidas interrompidas não podem ser compreendidas como meras estatísticas. Cada uma dessas mortes representa ausência, saudade, interrupção de planos e projetos”. 

O texto base da Campanha da Fraternidade de 2021 critica o negacionismo sobre a realidade e a fatalidade da Covid-19 e também a negação da ciência e do papel dos organismos multilaterais como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, os problemas enfrentados não foram apenas de saúde pública, “a pandemia escancarou as desigualdades e a estratificação racial, econômica e social. Cenas de valas comuns sendo abertas, por exemplo em Manaus, chocaram, mas não o suficiente para as pessoas mudarem seus hábitos e comportamentos. A resistência ao isolamento social, tanto por parte do governo quanto de uma parcela significativa da sociedade, expôs o quanto ainda precisamos amadurecer quando o assunto diz respeito à empatia e ao amor em relação ao próximo”.

Se sair de casa se demonstrou ser perigoso por conta do alto risco de contaminação, ficar em casa se tornou letal para muitas mulheres, conforme expõe o texto base da Campanha. “Entre março e abril de 2020, meses em que o isolamento social esteve mais forte, os casos de feminicídio aumentaram 5% em relação ao mesmo período de 2019. Somente nesses dois meses, 195 mulheres foram assassinadas, enquanto em março e abril de 2019 foram 186 mortes.”

Durante o lançamento virtual da campanha, o secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, deixou claro que o objetivo do tema é voltar o fiel ao diálogo para a superação das polarizações e das violências que marcam o mundo atual, em especial no contexto da política e da pandemia de covid-19. “O vírus, já tão letal em si mesmo, encontrou aliados na indiferença, no negacionismo, no obscurantismo, no desprezo pela vida. Sejamos, portanto aliados na responsabilidade, na lucidez e na fraternidade”. 

A igreja convida o Cristão a ser exemplo e defensor da vida: “Nos perguntemos se nossa prática cristã promove a paz ou potencializa o ódio. Esperamos que este seja um tempo que nos ajude a testemunhar e anunciar com a própria vida que Cristo é a nossa paz, adotando comportamentos de acolhida, de diálogo, de não violência e antirracistas”. 

Para que possamos ser luz em meio as trevas e união em meio a divisão, rezemos:



ORAÇÃO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE ECUMÊNICA – 2021

Deus da vida, da justiça e do amor,

Nós Te bendizemos pelo dom da fraternidade

e por concederes a graça de vivermos a comunhão na diversidade.

Através desta Campanha da Fraternidade Ecumênica,

ajuda-nos a testemunhar a beleza do diálogo

como compromisso de amor, criando pontes que unem

em vez de muros que separam e geram indiferença e ódio.

Torna-nos pessoas sensíveis e disponíveis para servir a toda a humanidade, em especial, aos mais pobres e fragilizados, a fim de que possamos testemunhar o Teu amor redentor e partilhar suas dores e angústias, suas alegrias e esperanças, caminhando pelas veredas da amorosidade.

Por Jesus Cristo, nossa paz,

no Espírito Santo, sopro restaurador da vida.

Amém.


https://www.conic.org.br/portal/files/cf_texto_base_2021.pdf


SC Bárbara Bressan Belan